Retinopatia Diabética é uma doença silenciosa; entenda as fases

Dados divulgados pela Organização Mundial de Saúde (OMS) revela que 1 em cada 11 pessoas no mundo têm diabetes. No Brasil são mais de 14 milhões de pessoas com a doença, 500 novos casos descobertos por dia. A retinopatia diabética é a complicação do diabetes que afeta os pequenos vasos da retina (parte interna dos olhos). O fato está relacionado ao tempo de duração da doença e o descontrole da glicemia no organismo. É por falta de informações que 40% dos diabéticos acabam tendo esses tipos de complicações.

A retinopatia diabética possui quatro fases da doença, são elas:

1º Fase Inicial (Não Proliferativa) – Período que ocorre microaneurismas: Pequenas áreas de dilatação dos pequenos vasos sanguíneos da retina.

2º Fase Moderada (Não Proliferativa) Nesta fase, alguns vasos sanguíneos são bloqueados.

3º Fase Severa (Não Proliferativa) – Mais vasos sanguíneos são bloqueados e várias regiões da retina param de receber sangue. Com isso, elas não recebem o oxigênio suficiente. Sendo assim, enviam sinais ao organismo para formar novos vasos para sua nutrição (neovascularização).

4º Retinopatia Proliferativa – É considerada a fase mais avançada da doença. A retina envia sinais, solicitando melhor circulação de sangue. Isso provoca o crescimento de vasos sanguíneos defeituosos e frágeis.

Normalmente a doença não costuma apresentar sintomas. No entanto, quando ocorre hemorragia vítrea, o paciente pode ver alguns pontos de sangue ou manchas flutuantes na visão. Ao primeiro sinal de visão borrada, ou qualquer outra alteração, procure um médico oftalmologista.

Entre em contato conosco através do Whatsapp  e marque sua consulta agora mesmo.

Romae